Pular para o conteúdo principal

Cobertura: Sunday Hardcore



Texto: xDudux

Fotos: xDudux e Mari Martins

Rodrigo falou desde o começo que o ambiente estava parecendo um mausoléu, mesmo sem ele saber exatamente o que é um. Para ele não ficar mais na dúvida eu  trago pra ele o que é uma mausoléu.

Mausoléu: Um mausoléu é uma tumba grandiosa, normalmente construída para um líder ou figura importante que morrera. (Fonte: Wikipédia).

Rodrigo, mesmo sem saber, tinha razão ali realmente estava parecendo um mausoléu, pois os presentes pareciam mortos. Primeiro há de se falar que aquele monte de gente que só sabe ficar de blá blá blá e teorias nas redes sociais não compareceram ao evento,e ainda querem me cobrar seriedade no Facebook, poupe-me! De que adianta eu perder meu tempo discutindo com pessoas desse tipo? Gastar meu português levando a sério pessoas que só sabem falar...falar...e apenas falar, não mesmo! Os poucos presentes ficavam num coro de pica só, para dentro e para fora, não observando devidamente as bandas e quando assim faziam pareciam mortos, de fato o Sunday Hardcore deveria ter se chamado de Mauzoléu Fest.

O show também teve suas falhas, pois marcado para um domingo às 19:00 horas, horário horrível, mas foi o que a casa impôs, ainda atrasou. O atraso se por coisas bobas, o que é pior e não foi culpa dos organizadores e sim de um integrante de várias bandas que tocariam no dia. Mas enfim, vamos aos shows.

A Mapache Man - http://www.myspace.com/mapacheman - sobe ao palco e mostra todo seu punk rock bastante influenciado por Against Me e Fugazi. A influência é clara e graças a Deus que bebem nessa fonte. Além das músicas da Demo rolaram várias músicas novas, que estão ainda melhores, e covers das influências anteriormente citadas. Deu pra dançar um pouquinho agarrado e cantar junto.



Logo após, destoando das demais bandas do line up, a Derrube o Muro http://www.myspace.com/derrubeomuro - veio com seu hardcore pesado e direto. O set foi composto com todas as músicas que não foram gravadas no EP e algumas poucas do EP como "Derrube o Muro que nos Separa" e "De Olhos bem abertos". O show, pra mim, foi foda! Adorei, estava empolgado e apenas lamento que meu parceiro de vocais, Doriva, não pode está presente devido a problemas de saúde, inclusive sua ausência me deixou completamente fudido, fazer as vezes desse safado não é fácil. Para tentar suprir a lacuna, Rodrigo (Guitarra) e Diogo (Bateria) me ajudaram nos bakcs. No final mandamos dois covers: "Eu te Amo", da Sem Acordo e "Freedumb", do Suicidal Tendencies. O cover do Suicidal foi tão empolgante que quase que Diogo acaba o show estragando o bumbo da bateria.




Armengue feito vamos ao show da Busterhttp://www.myspace.com/0buster0 - Definitivamente a Buster se sagra a melhor banda de hardcore melódico dessa cidade, quiçá do Nordeste. Os caras são sensacionais e de uma técnica ímpar. Como eu já imaginava, a banda não perdeu nada dessa qualidade com a troca de baterista, apesar de Diogo ter atrasado o show e de quase ter acabado com o evento ele realmente é um baterista e tanto, daquele tipo que pega fácil as músicas e tem aquela firmeza na hora de tocar. De novidade no set da Buster tiveram a música que saiu na Coletânea Manual de Resistência, "No Self Respect" e um cover do Garage Fuzz, “Embedded Needs”.




A banda de baile que animou minha juventude subia ao palco para mostrar aquele punk rock/post-hardcore que sempre fui habituado e criado ouvindo. O momento mais esperado da noite, ao menos para minha pessoa, era esse afinal são 10 Anos de Patorockohttp://www.myspace.com/patorocko - e vou logo dizendo, sinceramente não foi uma comemoração digna a altura dessa banda. Primeiro foi ridículo ver Rodrigo tocando baixo, o lugar dele na Patorocko é na bateria e pior foi ver Diogo tocando bateria, definitivamente a essência da Patorocko não está em bons músicos e sim em pessoas que viveram a era Patorocko e Diogo não viveu essa fase. Faltaram covers clássicos que a banda tocava, houveram erros ridículos na execução de algumas músicas lendárias e se não fosse por ouvir "ALCA" e "Sociedade" acho que daria um tiro em minha cabeça ali mesmo. Também faltou no show Nilinho pedindo pra tocar "Sonho Médio".




Finalizando o Mauzoléu Fest a banda mais animada e engraçada da noite: Charlie Chaplinhttp://www.myspace.com/charliechaplingoveia -. Nunca dei tanta risada num show, foi o show mais “foda-se o mundo inteiro” que já vi e adorei isso. Pra quem estava esperando a Charlie Chaplin de sempre, com melodias bunitinhas e um set coeso se fudeu, os caras zoaram o show do começo ao fim e pra mim essa é a diferença da Charlie Chaplin para as demais bandas, tipo todos podem querer imitar a sonoridade, estilo e beber da mesma fonte, mas ninguém vai conseguir ser tosco como os caras e transitar por diversos meios tão distintos...êra panquê!!!!! De improviso rolou um cover do Fullheart que até se fosse acapella seria lindo, porque foi uma música que também marcou a nossa geração, acho até que seria mais apropriado ser tocada pela Patorocko. Como já estava bem adiantada a hora resolvi me retirar faltando apenas poucas músicas para esse que considero o melhor show da Charlie Chaplin.
Para vocês que estão lendo e não foram ao show, fiquem sabendo que vocês contribuíram para que não consigamos fundos para trazer uma banda de fora pra cidade, saibam que vocês colaboram para que tudo continue na mesma merda, onde vocês se iludem que colaboram indo aos shows na rua e nos fingimos que está tudo bem porque shows na rua estão sempre animados e tão cheios. Fiquem em suas casas, vendo no Youtube shows das gringas ou em São Paulo e batendo punheta, desejando ter nascido naquela localidade.


Comentários

Wesley disse…
Se unificar tem jeito, enquanto ficar essa picuinha de quem é o melhor da cena por aqui, vai ser essa merda! Só teremos uma cena forte no em que todos tiverem mais maturidade.
Bruxo disse…
falou e disse Dudu!
Eduardo disse…
Wesley, díficil é se juntar.

Paulinho: Noiz!
Andrei disse…
enfia a cena no cú, roda e faz bom proveito dela.

Dudu, por favor, continue a expressar sua opinião sobre que banda realmente vocÊ acha melhor. Se você achasse ruim, você também diria que sei, então foda-se o mundo.
Eduardo disse…
Isso, é bem por ai.

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…