Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010

Salvador Breakdown

Por: xDudux

Um evento onde o sagrado e o profano nunca estiveram tão juntos, e porque não em harmonia, assim foi o Salvador Breakdown cheio de crenças e descrenças, e com a música roque como trilha disso tudo.

A primeira banda a se apresentar foi a CONVERTEDX - http://www.purevolume.com/convertedx - a banda executa um som bem característico das bandas de punkrock da Califórnia, beirando o pop punk, como exemplos para ilustrar o que seria o som dessa banda têm a MxPx e a SR-71. No Brasil a banda parece beber na fonte do Dead Fish, tendo inclusive algumas músicas com riffs bem parecidos com a da banda capixaba. Entre uma música e outra, ou até no meio delas, o vocal fazia questão de arrebanhar cordeiros desgarrados, como um bom pastor...era uma verdadeira pregação, que parecia que dominaria todo o evento, apenas parecia e depois vocês vão ver por que. No final, indo de encontro ao estilo que tocam, mas me agradando bastante, tocaram um cover da banda norte americana POD, a música escolhid…

FESTIVAL DE CULTURA ROCK - 4ª Edição

Como já vem rolando desde o começo do mês, sexta-feira é dia de FESTIVAL DE CULTURA ROCK. Nesta 4ª edição tem como tema da noite o Emocore/Hardcore (?). Como já vinha sendo de rotina, a chuva tinha que dar as caras, e com ela vem um atraso um pouco além do habitual para o início de um show.


Entre uma cervejinha e outra, conversando com meu bróder Luidi (Acanon), a noite começa com a Hupper - http://www.myspace.com/bandahupper, num show morninho, até mesmo porque nem tinha como esquentar, ainda muito vazio o espaço. A cada apresentação eles vêm mostrando seu amadurecimento, com destaque para o seu guitarrista. E foi assim a apresentação da Hupper, dividindo a atenção dos poucos que ali estavam com um PS2 instalado a um projetor.


Pausa para mais uma cerveja, um cigarrinho e uma partida de FIFA SOCCER. Eis que entra a Shift 1.0 – banda nova e igual a tantas outras que enchem o seu repertório de covers. Fazem uma linha de hardcore melódico que lembra muito o CPM22 e mais nada. Puseram em s…

Entrevista com: Egrégora

A Egrégora é uma banda de hardcore soteropolitana, que tem em sua linha de frente uma garota de vocal agressivo (Carol) e conta com membros de diversas outras bandas importantes para o underground baiano como: Veredicto, Lumpen, Mais Treta... O Tomanacara teve o prazer de entrevistar essa banda que recentemente lançou seu primeiro material, uma demo que está nas ruas pra quem quiser garantir. Sobre isso e muito mais confiram na entrevista abaixo, com certeza vai absorver algo positivo:

1. Antes de qualquer pergunta, não posso esquecer de perguntar: Quem é “Ismael”?

Carol: Ismael é um gorila personagem do livro “Ismael”, de Daniel Quinn, autor conhecido por escrever coisas do gênero em temas como ambientalismo, civilização (primitivismo), supremacia humana, etc.
O enredo se encontra num diálogo entre um homem e um gorila, “Ismael”, provocando-o quanto origem das civilizações, a supremacia humana.
A música Ismael vem de reflexões do tipo “como as coisas vieram a ser como são?”, o cativeiro …

Conexão Vivo na Sala do Coro Apresenta: DUBSTEREO

Chegando a bilheteria do TCA, fila tranquila era 18:00 horas ainda, garanti meu ingresso e fiquei no Campo Grande conversando com dois amigos enquanto esperava Fernando Gomes -http://www.flickr.com/photos/fernandogomes, que fez fotos maravilhosas desse show. Quando ele chega ficamos mais um pouco por ali até que está próximo das 20:00 horas e vamos a porta do Teatro, quando fiquei sabendo que em menos de 1 hora todos os ingressos haviam esgotado! Conexão Vivo começando em grande estilo.

A banda a se apresentar no Projeto Conexão Vivo na Sala do Coro do TCA foi a DUBSTEREO -http://www.myspace.com/dubstereosound - nem preciso elogiar a pontualidade do evento, quem já frequentou eventos na Sala do Coro sabe que dá gosto de ir, pois sabe-se que começará no horário e com uma qualidade sonora impecável, melhor muitas vezes que muitos CDs de estúdio. Um som limpo, sem ruídos ou microfonias e uma sala bem climatizada. Definitivamente, para mim é um show atípico e fora dos meus padrões, porém é…

MOSTRA DE DOCUMENTÁRIOS MUSICAIS

Segunda Feira em Salvador é dia de muito agito cultural, e minha saga começa na Biblioteca Central, mais especificamente na Sala Alexandre Robatto com a Mostra de Documentários Musicais. Os documentários são curtos e por isso são exibidos todos de uma vez, sequenciados, acabei vendo todos e não me arrependi. Meu foco nesses documentários, era o Pânico em SP, documentários que mostra um pouco da vivência Punk da década de 80 aqui no Brasil, porém como acabei vendo todos vamos ao primeiro documentário exibido.
RUA DA ESCADINHA 162 - http://www.portacurtas.com.br/Filme.asp?Cod=1548 - foi o primeiro documentário a ser exibido, consiste num divertido e descontraído desabafo de Christiano Câmara, um colecionador de música do Ceará, que começa o documentário botando o dedo na cara da atual indústria fonográfica, e é detentor de frases memoráveis como "Não adianta querer botar meia sola na história não", com certeza Christiano Câmara tem vaga garantida aqui no Tomanacara, representou…

Festival de Cultura Rock

Com uma tabela de preços bastante variada o Festival de Cultura Rock conseguiu lotar o Tarrafa, situado acima do antigo Nhô Caldos, essa sexta feira. Com um atraso já característicos dos shows soteropolitanos, o Festival juntou alguns novos e velhos nomes da cena alternativa pesada desta cidade.


Um novo nome nesse show foi a SUICIDE NOISE, a banda conta com integrantes que já tiveram outras bandas como a Anacronismo, e uma das sensações do No Palla Cover, a Anthero e essa qualidade e experiência fizeram a diferença, tirando leite de pedra os caras conseguiram uma equalização legal, e o som ficou bem audível. Eu quando fiz o release do show até brinquei que a banda devia ser uma imitação de Suicide Silence, isso eu ainda não sei porque nunca ouvi esta banda, mas sei que a Suicide Noise me impressionou bastante, posso dizer que dessa vez eu tomei na cara, pois achava que a banda seria uma verdadeira bota entupida de breakdowns, mas na contra mão de tudo isso, a banda faz uma linha de som…