Pular para o conteúdo principal

Festival de Cultura Rock

Com uma tabela de preços bastante variada o Festival de Cultura Rock conseguiu lotar o Tarrafa, situado acima do antigo Nhô Caldos, essa sexta feira. Com um atraso já característicos dos shows soteropolitanos, o Festival juntou alguns novos e velhos nomes da cena alternativa pesada desta cidade.


Um novo nome nesse show foi a SUICIDE NOISE, a banda conta com integrantes que já tiveram outras bandas como a Anacronismo, e uma das sensações do No Palla Cover, a Anthero e essa qualidade e experiência fizeram a diferença, tirando leite de pedra os caras conseguiram uma equalização legal, e o som ficou bem audível. Eu quando fiz o release do show até brinquei que a banda devia ser uma imitação de Suicide Silence, isso eu ainda não sei porque nunca ouvi esta banda, mas sei que a Suicide Noise me impressionou bastante, posso dizer que dessa vez eu tomei na cara, pois achava que a banda seria uma verdadeira bota entupida de breakdowns, mas na contra mão de tudo isso, a banda faz uma linha de som espetacular, que me lembrou em algumas horas Arc Enemy, quer seja pelos vocais rasgados de uma das vocalista ou até mesmo por alguns riffs de guitarras que se assemelharam bastante. Falando nas vocalistas, as duas se completam, uma tem um rasgado legal, e a outra manda um vocal mais grave, com pitadas de guturais, que sinceramente deixa muito marmanjo que acha que canta pra trás, acho que elas podem evoluir bastante ao passar do tempo. Uma dica: ESQUEÇAM OS VOCAIS MELÓDICOS! A banda estava perfeita, quando entrou os vocais melódicos definitivamente cagaram tudo, e outra não fiquem com essas disputas de egos do tipo "A banda tem só ela de vocalista" ou "Eu também sou da banda", porque como eu disse ambas acabam se completando, e esse tipo de discussão é coisa de amadores e a pegada de vocês é pra superar e muito o que se vem fazendo nessa cidade.

O show acaba e penso: "Porra, se a primeira banda me deixou boquiaberto, as demais vão me fazer mudar o meu conceito de shows de metalcore moderno, acho que passarei a freqüentar matinês", porém esse meu pensamento logo foi mudado com a entrada da segunda banda BURIED IN SILENCE - http://www.myspace.com/buriedinsilenceband - se na primeira sobrou qualidade técnica, essa malmente soube equalizar de forma adequada o som, era perceptível a diferença de uma para outra, além do que a banda era um breakdown atrás do outro, me fazendo ter náuseas só em ouvir, o vocal não é dos melhores e sinceramente na banda não vi nenhum integrante que se destacasse individualmente, acho que a banda deve passar mais tempo no estúdio e estudando um pouco antes de voltar aos palcos.

Eles podem não ter sido os precursores do metalcore em Salvador, como afirmaram em entrevista, mas vale destacar alguns mértios dessa banda AND MARY DIES - http://www.myspace.com/andmarydiesband - Primeiro a banda investe em equipamentos bom, para tirar um som com uma qualidade legal, tem um público cativo e vezes histérico, um dos guitarristas (o loirinho), toca bem e tem um vocal melódico lindo, com um inglês afiado que me fez lembrar do vocal do Coheed and Cambria, banda que amo de paixão e o baterista, apesar de não transparecer emoção ao tocar, tem uma técnica boa. Os deméritos, ficam por conta dessa junção de vocais agressivos e melódicos, que deve ser algo do estilo que tocam, porém não me agrada nem um pouco, seria mais proveitoso fazerem duas bandas, além dos famosos e massacrantes breackdowns, eu fico imaginando como uma banda consegue ensaiar por 3 horas, por exemplo, com tanto breackdown nas músicas, na boa acho que depois de um ensaio desse era suicídio na certa. Na hora do show dos caras, a galera empolgava bastante, na verdade o público estava bem empolgado no show de todas as bandas, o que achei legal, mas na hora do show da And Mary Dies ou AMD como alguns preferem chamar, a galera estava com ânimos bem exaltados, rolou uns princípios de brigas, mas logo acalmado com uma frase que entra pra história do Tomanacara, proferida por uma menina que tava na roda: "MOSH CORE É RESPEITO", S E N S A C I O N A L!!!kkkkkkkkkkkkkkk
Outra banda nova, foi a MY ENEMY AND ME que fazia ali seu show de estréia. O vocal da banda é o mesmo da antiga Sell Your Soul, e o som da banda acabou sendo bem parecido com a antiga. Definitivamente não é tipo de som que me agrada, nem na época de 2000/2003 que estava em voga devido ao Hellfest que bombava nos pcs dos jovens hardcorers eu gostava de bandas nessa linha, e agora que estou mais chato então...porém, a banda é de uma qualidade que impressiona, parece que ao contrário da Buried in Silence, os caras fizeram o dever de casa, ensaiaram bastante e valeu a pena, pois não fizeram feio, inclusive teve uma música com um un riff que não sai de minha cabeça e que me fez lembrar da paulista Deeper Than That, que eu nem sei se os caras conhece, mas essa música pareceu bastante. Rolou ainda um cover do Killswitch Engage, influência clara da banda.

Fechando o evento sobe ao palco, a banda que talvez tenha o som mais direto e agressivo do evento ANDRAGMA - http://www.myspace.com/andragma - conheço a banda desde o seu início, e sinceramente tenho que tirar o chapéu para evolução da banda, todos na banda evoluíram muito, principalmente o baterista, que parece ter abolido aquela pegada metalcore chata, e está mandando uma bateria cada vez mais rápida e empolgante, lembrando muitas bandas de death/grind algumas horas. Merece destaque ainda a dupla de guitarrista, ambos com riffs e solos bem elaborados e tudo bem coladinho e em consonância com os demais membros. O vocal interagiu com o público, indo cantar no meio da galera, eu particularmente adoro isso e Nei (Baixo) era pura empolgação. O show não foi cansativo, como alguns shows do Festival e acho que esse segundo material da banda, que já está gravado vai superar e muito a primeira gravação.
Fim de show, pausa para um lanche, risadas e rumo para minha casa, encarando as ruas desertas da minha querida Boca do Rio, onde apesar de está rolando uma ronda policial, não impediu de comerciantes informais me oferecem pó e pedra. Salvador, segurança pública nota 10!E fora a chuva, que me deixou todo molhadinho.

Comentários

Anônimo disse…
é Arch enemy, man. hahahhah

Fiquei curioso pra ver as daus bandas novas.

é nóise!

andrei
Eduardo disse…
Andrei: Erro de digitação, mas vlwww!!!


:p
Val disse…
po, tive curiosidade em ouvir o som dessas duas meninas ai
Eduardo disse…
Val: Rapaz vale à pena, não sei se vai gostar mas te digo que pelo menos pra conhecer vale a pena.
Eduardo disse…
Val: Rapaz vale à pena, não sei se vai gostar mas te digo que pelo menos pra conhecer vale a pena.
Andrezza disse…
haha valeu pela dica hein? gostei do que falou sobre minha humilde bandinha e valeu a força!
@Andrezza - suicide noise.
vicente disse…
o texto ficou maluquinho no final né? vc fala da volta pra casa e do nada entra algo sobre alguma banda.

é nois cabeça!
Eduardo disse…
Vicente: Tá corrigido rapá!

Andrezza: Tranquilo, foi a primeira vez que vi/ouvi e me agradou bastanta, assim como várias pessoas presentes no local.
Dill disse…
Depois da tempestade vem a calmaria? Agora que não tem espaço de rock tem banda? hahahahahahaha.. que doidera! Quero ver a entrevista com Zander..
Eduardo disse…
Dill: Salvador é assim, ou é um ou outro...eu prefiro sem espaços e com bandas, pelos menos dá pra pegar uns ensaios heheheheheheh

A entrevista com Zander pelo visto miou, eles confirmaram, mas até hoje não responderam.

: /
Fernando disse…
Oxe! Q milagre é esse q não tá rolando uma polêmica aqui no comentários? o.O
huahuahuahuahauhauh
Eduardo disse…
Salvador tá mudando Fernandinho, saio na rua eu não sinto mais aqueles olhares de ódio a minha pessoa ahahhahuahuahuaha mentira, não é pra tanto ainda.

:p
Anônimo disse…
O dono desse blog é um demente que num entende porra nenhuma de música.Poser da desgraça como é vc diz que a buried in silence te deu náuseas?Vc ficou com náuseas pq vc é viado va procurar outra coisa pra fazer pq como um crítico de Rock'n roll vc vai passar fome se depender disso pra viver.
Eduardo disse…
hahuahuhuahua caralho que foda, a polêmica só veio depois e a gente nem viu Fernandinho!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Festival Big Bands 2012

Texto: xDudux
Fotos:Quina Cultural, Igor Filgueiras, Mari Martins
No dia 26/10/2012 foi dado o pontapé inicial para mais uma edição do  Festival Big Bands. Na sexta não fui, pois estava torcendo pro glorioso leão e no domingo também não deu pra comparecer já que estava na celebração da décima edição da batalha de rimas Maisum, entretanto não poderia deixar de ir a pelo menos um dia desse tradicional festival e me restou ir no sábado (27/10), onde dentre outras bandas teria a gigante Headhunter D.C., banda local de death metal com prospecção e respeito nacional. Sim por esse show com certeza já teria valido à pena minha ida a Praça Tereza Batista, mas ainda teriam outros atrativos nessa tarde/noite.
A banda de abertura foi a Hessel -http://www.myspace.com/hesselrock - banda instrumental local que seguindo nossa tradição de bandas instrumentais é muito boa! Os caras abusam, sem medo de ser feliz, de efeitos e pedais, dando um resultado final que é uma delícia musical de primeira linha, que …