Pular para o conteúdo principal

Conexão Vivo na Sala do Coro Apresenta: DUBSTEREO


Chegando a bilheteria do TCA, fila tranquila era 18:00 horas ainda, garanti meu ingresso e fiquei no Campo Grande conversando com dois amigos enquanto esperava Fernando Gomes - http://www.flickr.com/photos/fernandogomes, que fez fotos maravilhosas desse show. Quando ele chega ficamos mais um pouco por ali até que está próximo das 20:00 horas e vamos a porta do Teatro, quando fiquei sabendo que em menos de 1 hora todos os ingressos haviam esgotado! Conexão Vivo começando em grande estilo.



A banda a se apresentar no Projeto Conexão Vivo na Sala do Coro do TCA foi a DUBSTEREO - http://www.myspace.com/dubstereosound - nem preciso elogiar a pontualidade do evento, quem já frequentou eventos na Sala do Coro sabe que dá gosto de ir, pois sabe-se que começará no horário e com uma qualidade sonora impecável, melhor muitas vezes que muitos CDs de estúdio. Um som limpo, sem ruídos ou microfonias e uma sala bem climatizada. Definitivamente, para mim é um show atípico e fora dos meus padrões, porém é algo que vale muito a pena conferir, a começar pelo preço do ingresso hiper acessível. A Dubstereo é uma banda soteropolitana que mescla dub (como o nome já denuncia), batidas afros e hip hop, começando logo pelas batidas afros Jardel Cruz que as representa de forma impecavél em sua percussão com instrumentos variados, alguns inclusive eu nunca tinha visto, ainda falando de Jardel, tem uma música que ele canta na Dubstereo que demonstra que o cara é multiuso. A dupla de vocais Fael 1º e Russo alterna seus vocais que fácilmente são confundidos com bandas jamaicanas da década de 60, nos primordios do dub. Talvez por não ser um bom conhecedor de dub a Dubstereo só me remete a Augustus Pablo, o que para mim acaba sendo uma excelente referência.



Os caras montaram um paredão de teclados, eram dois tecladistas tocando cada um dois teclados, e que sincrônia!!!! Fiquei impressionado com isso, sendo que um dos tecladistas ainda se encarregava dos samplers, falando em samplers o conceituado Dj Buguinha Dub estava lá na Sala do Coro dando uma força para os caras na parte de sonorização, e pela qualidade da apresentação foi uma boa ajuda. A luz e efeitos do telão estava casadinha com cada faixa da banda, no telão podiamos ver imagens de diversos pontos de Salvador, com uns efeitos psicodelícos e vez ou outra uma chama tacando fogo na babilônia!



O público que lotava a Sala do Coro parece não ter ido ao evento apenas pelo valor, pois geral acompanhava a banda cantando e algumas garotas quebraram os padrões e levantaram para dançar na frente do palco, o que deixou bem mais descontraído o clima do show. A música "Sem Crise" parece ser um grande hit da banda, pois geral ficou frenética nessa hora. Porém, a música que mais me chamou antenção foi "SOS" (?) um dancehall de primeira qualidade, remetendo a um rítimo totalmente caribenho, dançante e ideal para nosso verão soteropolitano, seja pela sensualidade ou pelo rítimo quente da música. Não poderia deixar de falar da prescisão e técnica do baterista da Dubstereo, se dub é bom com banda é melhor ainda, pois podemos ver os bateristas e baixistas mostrarem toda técnica ao vivo, e assim como no reggae acho que a alma da banda é a cozinha.



Como agora virei colecionador de frase celebres em shows, vai uma dessa apresentação do Dubstereo proferida por um rapaz que estava à minha frente: "SOLTA O DEDO BAIXISTA!".


Comentários

Anônimo disse…
seo baixista soltasse odedo dentro do cu do maluco, garantop que ele ia ficar ainda mais frenético do que estava.

hahahaha



Andrei
Eduardo disse…
hahuahuuhauhauhauhauhauhahuahuaha
Fernando disse…
Showzaço! Virei fã da Dubstereo... O show q ia rolar na Pedro Arcanjo foi transferido p/ dia 12, tá ligado?!
Eduardo disse…
Pow eu já curtia a banda pra caralho, justamente por fazerem dub com banda, é o caso da OQuadro que faz rep com banda, eu pago pau pra issso. Só não vi nesse show Ru$$o tocando escaleta, acho que não rolou, uma pena.

Porra, nem sabia...ai vai ser uma eu ir iasporra.

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”. 
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…