Pular para o conteúdo principal

Salvador Breakdown



Por: xDudux



Um evento onde o sagrado e o profano nunca estiveram tão juntos, e porque não em harmonia, assim foi o Salvador Breakdown cheio de crenças e descrenças, e com a música roque como trilha disso tudo.



A primeira banda a se apresentar foi a CONVERTEDX - http://www.purevolume.com/convertedx - a banda executa um som bem característico das bandas de punkrock da Califórnia, beirando o pop punk, como exemplos para ilustrar o que seria o som dessa banda têm a MxPx e a SR-71. No Brasil a banda parece beber na fonte do Dead Fish, tendo inclusive algumas músicas com riffs bem parecidos com a da banda capixaba. Entre uma música e outra, ou até no meio delas, o vocal fazia questão de arrebanhar cordeiros desgarrados, como um bom pastor...era uma verdadeira pregação, que parecia que dominaria todo o evento, apenas parecia e depois vocês vão ver por que. No final, indo de encontro ao estilo que tocam, mas me agradando bastante, tocaram um cover da banda norte americana POD, a música escolhida foi "Alive", me fez voltar quase 10 anos no tempo, esse foi um ponto legal do show.



Como eu disse o clima leve e cristão parecia dominar o evento, mas a CITY IN FLAMES - http://www.myspace.com/cityinflames - seriam os primeiros a quebrar essa cristandade toda. Só em ter um guitarrista com o nome Ozzy, é uma profanação agora esse guitarrista subir ao palco com uma camisa do Life is a Life, é profanação descarada e desmedida!Os mensageiros do apocalipse mostraram que não era apenas isso que chocaria o sistema, o som pesado e alto abalava as estruturas do pub, tanto que teve que ter a intervenção divina de um dos apóstolos, Luís (administrador do bar), que toda hora insistia em pedir que o volume fosse diminuído, o que é um saco. A banda veio com uma novidade, Zóiaum (Anacronismos, Anthero, Dr. Gore e Charlot) fazia ali seu primeiro show na batera da City in Flames e demonstrou uma coisa bem importante, não é firula e marra que faz um bom músico, com simplicidade e humildade o cara conseguiu se igualar fácil ao que Thiago Shade vinha fazendo, e olhe que foram poucos ensaios, imagine quando o muleque tiver afiado.



A esse momento a fogueira santa para purificar as almas pecadoras já estava acesa, e a DYNAMUS - http://www.myspace.com/dynamusxxx - mandava seu metal no palco do PUB, sem toda aquela pregação presente na apresentação da ConvertedX a banda sentou o pau tocando quase que uma música atrás da outra, o atraso fez com que as bandas acelerassem seus repertórios, o que adorei, pois adoro ver shows assim coladinhos e sem muita frescurite, o decepcionante na Dynamus foi ver que o que sobrou de técnica e precisão em Zóiaum na City in Flames faltou ao baterista desta. Não sei se ali era o primeiro contato do cara com um pedal duplo, mas nitidamente ele estava se mordendo, errando demais como se jamais tivesse usado um, se realmente ele nunca havia usado acho que um show não era o melhor momento para ele tentar aprender. O vocal do cara da Dynamus me lembrou aquelas bandas de metal mais classiconas, achei bem doido. Em uma das poucas vezes que ele parou para falar algo, anunciou que um dos integrantes da banda estava em Minas Gerais, e que havia sido substituído para o show, ai pensei: "Ah menos mal, o baterista tá quebrando um galho", porra nenhuma! O quebra galho era o baixista, que tava tocando bem seguro!!!!Entendi mais nada.



Ainda desnorteado com o vexame do baterista da Dynamus, aguardava o início do show da HOMEM METEORO - http://www.myspace.com/homemmeteoro - e eis que surge a chuva de gafanhotos, a peste em forma de música, o satanás na forma musical..."Eu odeio a judeu cristandade", Andrei "Trovoada" já começa assim, sem massagem. Depois o que aconteceria no show seria uma sucessão de profanações e descrentismo desmedido. Executando músicas de seu primeiro registro gravado e algumas que sequer saíram, mas que já eram bem conhecidas por alguns presentes Andrei alternava cantando com 1 microfone, 2 microfones e claro SEM MICROFONE. Impressionante era que era perfeitamente audível seu vocal em qualquer uma das circunstâncias, o que claramente era efeito de uma presença diabólica no recinto, será que dessa vez Exu desceu? Independente disso, a banda fez um belíssimo show que deixou geral impressionada! A banda está toda coladinha, e definitivamente a saída de Miro para Tchanka (Guitarra) e para banda em si foi boa, pois o cara a cada dia que passa evolui de forma fenomenal.



Finalizando o Salvador Breakdown com um público bem reduzido a PURITAN - http://www.myspace.com/xxxpuritanxxx - fez seu show, sem se abalar pela quantidade dos presentes. Ainda com a chateação de Luís com o volume dos instrumentos, os caras executaram apenas músicas próprias que seguem uma linha de thrash bem parecida com o Claustrofobia e as partes mais moshadas me fez lembrar um pouco da carioca Confronto. Apesar de ser um powertrio, a banda era pura empolgação e sentou o pau sem muita historinha, emendando uma faixa na outra e mostraram que não vieram do Espírito Santo a tôa. No final, mesmo com uma pequena quantidade de pessoas pediram para abrir um corredor para que rolasse um Wall of Death, que de longe foi um dos momentos de maior diversão e descontração do evento, quem não ficou pra ver o show dos caras perdeu a oportunidade de ver uma banda legal e quem não foi ao evento, perdeu de ver o que posso chamar de ensaio do arrebatamento final, em 2012 vai ser mais ou menos assim.




Banda da Foto: Dynamus

Comentários

Anônimo disse…
Essa resenha ficou foda, Dudu

O lance da camisa de Ozzy foi sensacional

Andrei
Eduardo disse…
Andrei: Valeu, demorei a postar porque dEUS insistia em me deixar doente e ceifar minha vontade em escreve-la, mas sobrevivi parea escreve-la, não sei até quando. hehehe
Anônimo disse…
até muito tempo, man
Eduardo disse…
Espero, hoje já acordei gripado.
Eldo disse…
Froids, muito legal as resenhas deles, ri muito- Aqui é igual a São joão -O SAGRADO E O PROFANO

rsrsrs
Eduardo disse…
Não só São João, como toda festa na Bahia acaba sendo. hehehehe
Rodrigo disse…
hahahaha ficou bala!! super clima essa resenha...

to ligado q c fica respondendo tds os comentarios, pra subir o numero de comentarios ne? hehehe
Eduardo disse…
Rodrigo: Nem, é que gosto de interagir com quem comenta, afinal são poucos que lêm e comentam, tem que valorizar.
Anônimo disse…
Não vi banda Break la..........
Bahia so tem loko......
Eduardo disse…
Anônimo: Eu não conheço bandas de break, sei que a galera do hip hop tem grupos de Break, mas realmente não rolou lá.
Rodrigo disse…
hahahahahahaha

se kiki lesse o blog, ia comentar: q dudu eh o melhor vei!!! hehehehe
Eduardo disse…
uhahuhuahuahuahuahuauhahuaha e quem disse que ele não lê? uhahuahuahua ele me ligou esses dias e disse que dava uma olhada de vez enquando.

:p

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…