Pular para o conteúdo principal

Entrevista com YUN-FAT


Essa é a nossa segunda entrevista e estamos trazendo o grupo de maior sucesso do cenário rocker baiano o YUN-FAT e quem nos proporcionou essa conversa gostosa e descolada foi o HIRAM (vocalista), desfrutem e divirtam-se!!!!



1-Quem são os Yun Fat's?

Hiram: Somos um bando de gays enfrentando severas crises de identidade.
Hiram (voz), Paulo (baixo), Cecelo (guitarra) Vini (guitarra) e Louis (bateria).


2- Como se conheceram, e quando decidiram formar a banda?

Hiram: Nos conhecemos numa sauna mista gay. E decidimos formar uma banda em janeiro de 2004. Por quê? Talvez para jogar um pouco de dinheiro fora quando poderíamos estar investindo no mercado de ações.


3- Lembro-me, que nas primeiras apresentações da banda, vocês se apresentavam como Chow Yun Fat, porque houve essa mudança?

Hiram: Por que Chow Yun-Fat é do meio acadêmico. Prefere ser reconhecido apenas pelo sobrenome.


4- Sei que o Marcelo toca/tocou em diversas bandas, assim como o Paulo toca na Cissa Guimarães. Quais são os projetos paralelos dos membros do Yun Fat?

Hiram: Eu já cantei no Ungodly, o Louis já tocou e toca em quase todas as bandas de metal da Bahia, tais como, Cobalto, Pandora, Mystifier, Tharsis, Drearylands... Já o Vini tocava na Agnes. Hoje, além do Yun-Fat toca em uma banda muito gostosa de Axé Music, cujo nome eu infelizmente não me lembro. E o resto é o que você já sabe... Cecelo toca na Jonas, na Hoje Você Morre, na Orquestra Elegante e na A Sangue Frio, e o Paulo na Cissa Guimarães.


5- O álbum "Action Movie Stunts Get to die" foi bem aceito pelo público alternativo em geral, além de receber boas críticas pela mídia especializada, o que garantiu a vocês uma visibilidade grande, tendo inclusive saído uma matéria no Jornal Folha de São Paulo. Como vocês vêm essa receptividade e vocês acham que ela se deve a que?

Hiram: Nosso primeiro disco realmente superou as nossas expectativas. Não tínhamos grandes pretensões com ele. Então, é com alegria e amor nos nossos grandes corações que vemos que ele tem recebido excelentes críticas da mídia especializada gay. Creio que essa receptividade se deve a nossa aparência e carisma. Somos rapazes galantes, bem criados e achamos que queimar pessoas que dormem nas ruas, uma atividade sadia e gostosa.


6- Bem, como falei acima o disco foi bem aceito pelo público em geral, e pelos "Metalêros True", quais os comentários, eles também gostam e apóiam o trabalho do Yun Fat?

Hiram: Não, eles não gostam. O que nos alegra de montão! Sabe aquela sensação de dever cumprido?


7- Basta uma audição do CD de vocês para perceber as inúmeras influências, desde a Bossa Nova até o Metal velho, citem algumas influências musicais.
Hiram: Ocultan, Sarcófago (OLD) e Amado Batista.


8- Em geral, qual circuito vocês costumam se apresentar?
Metal, hardcore, emo?

Hiram: No circuito de Interlagos. Em março próximo faremos mais uma grande apresentação nesse circuito, tendo como banda de abertura os jovens do Iron Maiden.


9- Vi algumas fotos na internet do Making Of da gravação do videoclipe de vocês, podem nos adiantar qual música foi escolhida e quando provavelmente poderemos nos deliciar com mais essa produção videocliptica baiana?

Hiram: A música escolhida foi He Wants a Bullet Between His Eyes e creio que o clipe estará disponível em fevereiro de 2018. Vai concorrer com o clipe da música Circus da nossa querida Britney Spears no VMA 2003. Ahn? Não sei cara. Mas pode ficar sossegado que quando ficar pronto você verá com exclusividade num quartinho escuro lá em casa.


10- Falando em novidades, estive na última apresentação de vocês no Rock Sandwich e nas primeiras músicas tinha um guitarrista a mais (Vini), sei que já passaram pela banda o Tito, Vince e agora, novamente o Yun Fat deixará de ser um quarteto?

Hiram: Exatamente. Como já foi dito anteriormente o Yun-Fat é composto por cinco seres de orientação sexual duvidosa.


11- Como se deu a escolha do novo integrante, quais critérios utilizados?
Hiram:
Poder aquisitivo, disponibilidade para tocar no Acre, ser passivo e ativo, e gostar de dançar a “Macarena” usando uma canguinha amarela aos finais de semana.


12- Falem como foi a experiência de serem indicados ao prêmio Bahia de todos os rocks e como foi se apresentar para o público seleto que ali estava presente?

Hiram: Foi bacana. Fomos indicados nas categorias “álbum do ano” e “música do ano”, o que realmente nos deu um ânimo a mais. Falando sério agora. Nós somos plenamente convictos da qualidade da música de merda que fazemos. Aguarde nosso próximo álbum. Chutará muitas bundas.


13- Vocês tocaram a pouco tempo atrás no FORCAOS (Ceará) e em Maceió (Alagoas), com a banda paulista Leptospirose, como foram esses shows? Como foi a receptividade do público de ambos estados?

Hiram: Foi bom pra caralho. Em Fortaleza era um puta festival, com puta palco, iluminação e som. Sem contar que o pessoal do Ceará é firmeza pra caralho. Em Maceió o esquema já foi outro. O espaço era simples, som e iluminação também. Mas fizemos um show igualmente animal, para uma galera alagoana igualmente firmeza, saca? O contraste entre o nível dos eventos prova que nada disso tem importância. O que importa realmente são as pessoas que organizam, prestigiam e apóiam. Abraços de afeto mútuo universal para todos que conhecemos em Fortaleza e em Maceió! Esperamos voltar às suas cidades o quanto antes para mais algumas tentativas de delícia, ok?


14- Pretendem fazer alguma turnê pelo nordeste? E no Sul/Sudeste?

Hiram: Sim. Pretendemos fazer shows em qualquer lugar do país e do mundo. Inclusive no Acre e em Dubai. No momento falta grana para isso. Mas as coisas vão acontecendo...


15- Quais os planos para 2009?

Hiram: Tocar com Asa e Ivete no Parque de Exposições Agropecuárias em um evento beneficente em prol das crianças gordas estrábicas raptadas por lesmas iraquianas neonazistas, ter filhos e morrer de overdose de maconha (que mico!).


16- Deixem uma mensagem para os leitores do fotolog/blog Toma na cara.

Hiram: Caros leitores do Toma na cara: Nessa vida, nada vem de graça. Se um filho é ingrato, é por que no mínimo, mas no mínimo, os pais não souberam educá-lo.


666- Pra finalizar: Há interesse?

Hiram: Haverá muito interesse se você dançar a “Macarena” com uma canguinha amarela.

Comentários

DavidSurfer disse…
ashduiashdiuashdiu
hiram é um fofo kkkkkkkkkkk

entrevista mara! ;)

bjos lindos! ashudihasuidhuai
Tadeu disse…
Melhor entrevista do cenario Rocker baiano !
Huahuahuahuahauhu... !!!!!!!!!!!!!!!!
Tou no aguarde do Clipe e do proximo disco !
Bjundas !

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Festival Big Bands 2012

Texto: xDudux
Fotos:Quina Cultural, Igor Filgueiras, Mari Martins
No dia 26/10/2012 foi dado o pontapé inicial para mais uma edição do  Festival Big Bands. Na sexta não fui, pois estava torcendo pro glorioso leão e no domingo também não deu pra comparecer já que estava na celebração da décima edição da batalha de rimas Maisum, entretanto não poderia deixar de ir a pelo menos um dia desse tradicional festival e me restou ir no sábado (27/10), onde dentre outras bandas teria a gigante Headhunter D.C., banda local de death metal com prospecção e respeito nacional. Sim por esse show com certeza já teria valido à pena minha ida a Praça Tereza Batista, mas ainda teriam outros atrativos nessa tarde/noite.
A banda de abertura foi a Hessel -http://www.myspace.com/hesselrock - banda instrumental local que seguindo nossa tradição de bandas instrumentais é muito boa! Os caras abusam, sem medo de ser feliz, de efeitos e pedais, dando um resultado final que é uma delícia musical de primeira linha, que …