Pular para o conteúdo principal

Cobertura: Sanguinho Novo - Vendo 147 & Cascadura



Resenha por: xDudux

Fotos: Léo Monteiro


Mais um domingo (16/01) e eu rumo para o Pelourinho em busca de um show roque delicioso e de qualidade. Ao chegar lá me impressionei, a fila estava dobrando o quarteirão, achei uma merda inicialmente, mas depois vi que estava tudo mais organizado no Sanguinho Novo, corrigindo erros da semana anterior e ai foi só curtir a vibe.

A banda convidada dessa semana foi a Vendo 147 - http://www.myspace.com/vendo147 -. A Vendo 147 foi a banda baiana que mais rodou em 2010, passando por diversos festivais pelo Brasil e divulgando sua Demo, lançada pelo selo Big Bross Records. A banda tem certos diferenciais que chamam a atenção: Tocam de fardinha, é a primeira banda clone drum da Bahia e é uma banda instrumental, com todos esses diferenciais a banda inicia o show com uma bela introdução e colando com a faixa "Satangoz". Nessas primeiras músicas a banda já conquistou o público que ainda não os conhecia, deixando a todos impressionados com a sincronia entre os bateristas Dimmy e Glauco Neves, mas a banda impressiona também pelo virtuosismo do trio de cordas, bem afiado e cheios de surpresas."skate-O-Matic", a melhor faixa da Demo em minha opinião, foi a música que mais agitou a galera, dava para ver os corpos voando nos stage dives. O baixista fez o baixo falar com um belíssimo solo em "Hell", que inclusive assim como foi perceptível em algumas outras músicas está com arranjos novos, o que provavelmente é uma prévia do que vem no álbum da banda, "Godofredo", com previsão de lançamento ainda para esse ano, desse novo álbum ainda foram executadas algumas músicas novas, que estão numa linha mais pesada, inclusive uma delas tem uma virada linda no surdo, PERFEITO! Salvo engano, os caras fecharam o show com a música "Kill Bill" e diante um verdadeiro coro do público clamando por mais uma música voltaram para o "bis", que ai foi a vez de foderem com tudo num Medley sensacional e já tradicional onde tocam passagens de músicas clássicas de banda como Black Sabbath, Led Zeppelin, AC/DC, Jimmy Hendrix e Metallica, face a excessivos aplausos a banda se despediu.




Com uma Tereza Batista completamente lotada a banda anfitriã Cascadura - http://www.myspace.com/cascadurarock - sobe ao palco e começa sua apresentação com a música "Caim", confesso que tinha muito tempo que não via a Cascadura e o que me impressionou de cara foram as mudanças na formação, com o passar do show percebi que apesar das mudanças a qualidade da banda continua impecável e indiscutível, até pra mim que não gosto do tipo de som da banda é inegável que eles são muito competentes naquilo que se propõe a fazer e mais, sabem como organizar um belo show, o som estava ótimo e a iluminação estava linda, dando todo um clima no show. Pela empolgação da galera, parece que realmente essa nova formação agradou, o público estava tão empolgado que parecia um grande colchão de molas, pulando a cada música executada, a Cascadura sabe como fazer um grande concerto de música roque. Na agitada "Senhor das Moscas" os presentes que já estavam empolgados triplicaram essa euforia, dando até para ver rodas de pogo espalhadas pela Praça. Aproveitando o clima de "ensaios de verão", a banda tocou canções que irão sair no seu próximo álbum intitulado "Aleluia", com previsão de lançamento ainda para esse ano. Hits como "O Centro do Universo" também fizeram parte do set da banda para esse show do Sanguinho Novo. João Estrada, que assume as guitarras dessa nova formação da Cascadura, tocou juntamente com a banda uma faixa de sua autoria "Laura", ainda houve espaço para executarem a faixa "Sob o sol", uma parceira dos Cascaduras com Pitty.

Se alguém tinha dúvidas do sucesso e competência do Projeto Sanguinho Novo com certeza queimou a língua, pois em todos os dias que fui a Praça estava lotada e sempre com bandas de abertura de qualidade, fora que a Cascadura demonstra ter um público fiel e animado, coisa que em termos de rock baiano é algo para se comemorar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…