Pular para o conteúdo principal

Cobertura: Coletivo das Ruas apresenta


Texto: xDudux

Sexta feira e pela manhã o tempo parecia conspirar contra os ruêros do Coletivo das Ruas, mas o tempo também é rua e a noite estava tudo lindo!!Sem chuva, sem neurosi, a Rua é Noiz!

A primeira a se apresentar foi a promissora Dispor - http://dispor.wordpress.com - que mais uma vez sem a voz feminina de Valéria fez um excelente show. Antônio (vocal) novamente deu um show de empolgação, contagiando assim a galera que não entendia nada daquela demência e agonia dele. A banda executou músicas que saíram no split com a banda Tropical Youth, de Brasília, além de um cover da banda punk Olho Seco. Destaque também pra Diogo (bateria) que começava assim sua maratona nas baquetas.

A maratona de Diogo começou na Dispor e continuou na Mapache Man - http://www.myspace.com/mapacheman - banda que faz um punk rock bem mais leve que a banda anterior e cheio de melodias, porém a não menos punx que os primeiros e também não menos empolgados, ê powertrio gostoso esse.Além das já tão conhecidas músicas do EP de estréia a Mapache mandou uns sons ainda não gravados e um cover do Fugazi.

Pra fuder de vez com Diogo a próxima banda, Aphorism, exigia bem mais do mesmo e ainda tinha o cansaço de já ter tocado em duas banda, vocês acham que ele arrêgou? Não mesmo, mandou muito bem na complexa e tão pesada Aphorism. A banda passou por mais uma reformulação em sua formação, saindo Paulo Meireles e entrando Andrei Junquilho nos vocais, ambos são grandes vocais do underground baiano. O primeiro fez parte da melhor banda do mundo, Viver Mata e o segundo fez parte da banda mais empolgante de Salvador, Contenda, além de ambos terem em seu currículo outras bandas sensacionais, ou seja, foi uma troca justa.A banda é pesada, rápida e em alguns sons tem várias quebradas e melodias sensacionais. A performance de Andrei é um show a parte, perfeição! E no final a Aphorism nos presenteou com um cover da sueca Nasum.

Finalizando mais uma intervenção urbana promovida pelo Coletivo das Ruas, eles os reis das ruas: Buster - http://tramavirtual.uol.com.br/buster - Dessa vez com a formação completa os caras fizeram um show perfeito, e quando não é? A banda em 2011/2012 vem se afirmando com uma das melhores bandas da cidade, sem exageros. Os caras aproveitaram pra lançar no show da rua a Coletânea Manual de Resistência Três, coletânea que possuem 20 bandas, sendo a Buster a única representante do Nordeste e muito bem representada, diga-se de passagem, claro que a Buster tocou "No Self Respect", faixa que pode ser encontrada apenas nesta coletânea, fora as clássicas "FriendShit" e "Walking a Long Road" e pra finalizar um presentão, o cover da banda santista Garage Fuzz.

Mais uma intervenção bem sucedida, parabéns as bandas e ao Coletivo das Ruas.

Falando agora como Coletivo das Ruas gostaria de informar que não adianta pedir ou tentar tocar no queixão nos shows da Rua, pode não parecer mas os shows são planejados e organizados com antecedência, NÃO PEÇAM PRA TOCAR NA HORA, pois com certeza receberam uma recusa e quando dessa recusa não tentem danificar os equipamentos, pois iremos danificar sua cara do mesmo modo ou mais.

Comentários

Anônimo disse…
Diogo ganho um fã no show. O brother toda hora chegava para mim para flar. Porra os grinds do sue batera são fodas. tindindindin
rsssss


Sexta-feira tem mais rua!
Eduardo disse…
Sexta tem mais!!!Como tem que ser, das ruas pras ruas.

Ai Diogo abre logo os dentes.
Andrei disse…
Wanda Chase Rules

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”. 
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…