Pular para o conteúdo principal

Coletivo Nossas mãos, Toma na cara e Vibrato sonorização, apresentam


Essa não será mais uma cobertura de um show, será as considerações de dois dos organizadores do mesmo sobre este que foi um excelente evento. Sem modéstia, caprichamos na escolha das bandas, provamos que o importante não é quantidade e sim qualidade, que podemos baratear os ingressos e que é possível sim nos organizar e fazer algo dar certo. O evento foi realizado pelo Coletivo Nossas Mãos, que está de volta com a corda toda, Vibrato Sonorização e Toma na Cara.

Para expor considerações sobre o show Eu (Dudu) representando o Toma na Cara/Coletivo Nossas Mãos e Rodrigo Gagliano representando a Vibrato Sonorização/Coletivo Nossas Mãos, iremos dividir essa resenha. Boa Leitura!

Rodrigo: Marcamos o show para às 18 horas. Anunciar cedo, pra começar cedo, não causar problemas às pessoas que tem problemas com o transporte de volta pra casa. Alguns amigos questionaram o fato de estarmos na organização do evento e tocar de primeira. A questão foi que usamos o bom senso. Os Rewinders pediram pra tocar de segunda, tudo bem, ótimo. Abríamos, Rewinders vinham depois e The Honkers pra fechar com chave de ouro. Impressionante como essa seqüência deu certo.

Dudu: Não tinha como dar errado, pois era meio que a temperatura esquentando a cada banda. A Charlie Chaplin, como a "nova" banda dançante, o The Rewinders que tinha séculos que a maioria ali não via um show, e o The Honkers pra fuder com tudo, como sempre. Apresentações enérgicas pra caralho!!!Tinham que ser eles pra fechar, pra todo mundo ir pra casa satisfeito, como você bem disse foi bom senso de nossa parte.

Rodrigo: Umas 7 e meia o pessoal começou a entrar, e a gente a terminar de se preparar. O clima ainda não tava muito legal, mas tínhamos (Charlie Chaplin) que começar para não estourar demais o tempo e ficar muito tarde pra terminar, no que resulta em gente indo embora antes da última banda tocar e tal. Não fazia sentido ficarmos esperando o clima melhorar, ou a casa encher mais. Então começamos. O clima não estava dos melhores, mas o pessoal estava aberto a animação, rolou umas danças, umas paradas(intervalos maiores entre as músicas) por parte nossa - da banda, mas foi legal... serviu como abertura pelo menos.

Dudu: Acho que essa parada de esperar clima vira um ciclo vicioso, a banda espera o público e o público espera a banda, e assim os atrasos acontecem. Tem que fazer como a CHARLIE CHAPLIN - http://www.tramavirtual.com.br/charlie_chaplin , fez começar e a galera ir caindo no clima ou não. E discordo quando diz que "pelo menos serviu como abertura", foi um show foda, ao menos para mim, vários amigos na vibe de dançar e bagunçar, principalmente nas músicas que estão no Trama Virtual, talvez por serem mais conhecidas, verdadeiros "hits". A música "Estátuas", por exemplo, foi um ponto alto do show. Não gostei da nova versão daquela música nova que tinha o finalzinho do At The Drive-in, a música agora acaba "morta", antes acabava no speed. Sobre os intervalos demasiados, acho que quebram o clima demais, tem que ser que nem o Discarga, uma atrás da outras (risos).


Rodrigo: O The Rewinders - http://www.myspace.com/therews - começou a ajeitar suas coisas, faziam pausas, voltavam a ajeitar... depois de um tempo eles começaram, disparando várias músicas novas do segundo cd, que para fãs como eu, resta ficar torcendo para que saia logo, mas que de preferência saia. Rolou cover de Ramones (2 se não me engano - uma do Mondo Bizarro, esqueci o nome e "Were a Happy Family", com a participação, do que me pareceu ser o baixista da primeira formação), e no fim do repertório músicas do 1º cd. O clima melhorou significavelmente, pois já eram conhecidos de uma parte dos presentes expectadores, que inclusive me pareceu que algumas pessoas foram apenas pra ver eles em ação depois de tanto tempo parados.

Dudu: Negão, foi na hora que o The Rewinders começou a tocar que percebi que a porra do show tinha dado certo, nem tava preocupado com bilheteria e nem com porra nenhuma, que show foda foi esse!!!!???? De prima os caras mandaram a música nova que mais gostei, ao menos das que pude ouvir no MySpace, "I Ain't no Geek", ai já fiquei doidão. Quando olho ao meu redor vários rostos desconhecidos, vários rostos conhecidos e pessoas que a séculos não via, é vey....The Rewinders marcou geração definitivamente. Vê a alegria no rosto de pessoas como nosso amigo Társis, foi demais. Dever cumprido, estávamos satisfeitos e o público também. As músicas novas estão excelentes, porém quando tocaram as clássicas...mermaum!!!!!Isso que é show!

Rodrigo: The Honkers - http://www.myspace.com/thehonkers - mandou um repertório bem pra cima, garageiro extremo! A vibe tava muito doida, todo mundo dançando, pulando, requebrando, até rolar uma confusão, que também prefiro não comentar por aqui, esquece!!!
Rolou apenas as mais agitadas, ou mais intensas, como "Is This an old world", que soa como uma balada agressiva. The Specials, Cocksparrer, Milkshakes, etc...

Dudu: Como já comentei aos 7 ventos, The Honkers é o hardcore do rock. Interação público-banda, 100%!!!!, Rodrigo bem citoi acima, só foi pancada...os caras tão ligado que o que gostamos é rock doido rapá!!!! Bruno Carvalho (guitarra) e Rodrigo Chagas (Voz), já estavam bailando no meio do povo, e a gente...estávamos no lugar onde adoramos estar: NO CHÃO!!!!Isso mesmo, se jogando, se melando mermu, porque aqui é tudo muleque bolado, esse negócio de dancinhas pré-prontas é coisa de menino amarelo, não que Rodrigo não seja amarelo, mas acho que entenderam. Apesar do The Honkers sempre me surpreender, esse definitivamente foi o melhor que vi dos caras, e os comentários pós show sobre a apresentação foram bem positivos. E por essa excelente apresentação tenho que agradecer aqui aos caras por fazerem meu final de semana menos cinza e mais coloridos, aliás, mas encardido pela sujeira do chão do Irish Pub (risos).

É isso Rodrigo, acho que só nos resta agradecer as bandas por terem topado tocar, aos amigos que nos ajudaram e claro, Vicente e Antonio, outros membros do Coletivo Nossas Mãos. Até uma próximo evento feito com todo amor e carinho, para nós mesmos.


NA FOTO: THE HONKERS

Comentários

T612 disse…
Foi realmente uma noite muito do caralho, apesar das merdas. Pena que não cheguei a ver a Charlie Chaplin.
Abrass barreira!

Até o próximo!
Rodrigo Sputter disse…
Rapá, se T612 deixar, tou preparando um set punkera casca grossa pra num evento gratuito...cedo e no red river!

Só depende T612 querer...e Brust...q tão embarreirando...hehehehe

Esse aí pode parecer um show emo perto desse q tou pensando.
Fernando disse…
Mesmo não tendo ido, é mó satiRfação ver vcs fazendo os bagulho junto e dando certo!

Q venham mais!
x Toma na Cara x disse…
Tiago: Abração sacana, e não embarreira a punkadaria não rapá, quero ver os shows cada vez mais nervosos!!!!!

Bubute: kkkkkkkkkkkkkk esse eu quero ver demais!!!!!Putaquepariu já tô todo mibulindo aqui!!!Foda!

Fernando: Ouvir isso dos amigos é que dá mais gás na parada, é nois!
Careca disse…
meu filho. bota essa disgraça e deixa todo mundo se disgraçar vuh, perder a cara no asfalto, no sapato, na mão... seria melhor num lugar fechado e sem negoço de segurança nem ng segurando ninguem. claro q eh melhor todo mundo dançando, como tava rolando. mas se aparecer os maluco de pedra, toma murro de ferro. hehehe
vicente disse…
Leva mão de ferro e bota gasta né? ehehehe.. o show foi bala mesmo, Ver xs amigxs se divertindo, cheio das rodinhas de conversas, bandas boas, muito bala! gostei por show mesmo, como diria antonio, Show de bola o show! :)
x Toma na Cara x disse…
hauhahuauhahuahuahuah leva Jairo Invertido seu fdp! hahuauhauhahuahuauhauhahuauhahu


É noise!

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”. 
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…