Pular para o conteúdo principal

Cobertura: 1º Show do Ano - Plastic Fire (RJ) em Salvador



Resenha por: Rodrigo Gagliano

Fotos por: Julia Lins


O ocorrido sexta feira passada agora (07/01/11), no Tattoo Music Hall (Rio Vermelho), pode não ter representado tanto pra quem simplesmente estava de passagem ou frequenta shows por não ter nada melhor para fazer (sem querer desmerecer, não há problema nisso), mas pra quem ta ciente da situação não só em Salvador, mas em todas as outras cidades e regiões e que sempre ta nadando contra a maré e insistindo porque não conseguem desistir... esse show com certeza vai ficar marcado na memória e no histórico de tentativas e realizações daqui.

O objetivo do show, corrido, organizado em pouco mais de uma semana, era não deixar a primeira cidade da Tour da banda carioca Plastic Fire passar em branco (leia-se sem show). Foi aí que se correu contra o tempo e por um golpe de sorte, "aperecer" esse novo espaço para shows no Rio Vermelho, novo point de Barata Tattoo, situado bem no largo de Dinha.

Bom, passado todo esse momento de aclamação e explicação sobre pré-produção do evento, vamos de fato à resenha.


A abertura ficou por conta da Diante dos Olhos – http://www.myspace.com/diantedosolhos -, que está para gravar ainda esse ano algumas músicas novas, pois a gravação mais recente, não está tão recente assim. Tocaram um repertório mesclando entre as tais músicas ainda não gravadas e as que sairam no split 4Way "Transformando a distancia em possibilidades", finalizando com um cover do Street Bulldogs "Call at home", com empolgadas participações de Dill (Charlie Chaplin) e Reynaldo (Plastic Fire) nos vocais. O público já se fazia presente, porém meio tímido.



Logo em seguida veio a Mapache Man – http://www.myspace.com/mapacheman -, cujo a descrição Dudu já fez algumas vezes em outras resenhas aqui. Uma banda nova que recém lançou uma demo-ep com 5 músicas próprias, com um som influenciado por punk rock nova safra - vide bandas como Red Dons e Masshysteri, emo´s 80, Fugazi entre outras coisas. A banda fez o show tocando suas músicas agitadas, com vocal gritado, cover de Fugazi, mas ainda assim o clima no local era de atenção, mas sem muita vibração.



Veio a Busterhttp://www.myspace.com/0buster0 -, a única banda de hardcore californiano de verdade que a cidade já teve. Dá pra se sentir tranquilamente nos anos 90 (apesar de eu estar fazendo outras coisas nessa época), o clima é bem legal e a banda vem mostrando uma evolução cada vez maior ao vivo. Nesse show lançaram seu tardio, porém não falho, primeiro EP, intitulado "Choose Any Direction", recém saído do forno. 6 músicas, 5 reais, compre logo o seu.


Agora era a vez dos cariocas super gente boa do Plastic Fire (RJ)http://www.myspace.com/plasticfire -. Uma banda nova, porém muito competente, com um belo disco de estréia, intitulado com o mesmo nome da tour "A Última Cidade Livre" (eles também tem um ep lançado antes desse) e um show ainda melhor, pois podemos contar com todo o vigor e qualidade da banda ao vivo. Nessa hora a coisa começava a esquentar, pelo que vi o pessoal deu uma escutada no som da banda ou mesmo já conheciam as músicas, pois se via gente cantando e agitando no show dos caras. No cover de "A Flight and a Crash" do Hot Water Music (http://www.youtube.com/watch?v=DkHmXhpoUk0) , a vibração conseguiu ser ainda maior. Reynaldo, o vocalista, comentava bastante sobre a satisfação de estarem ali participando daquela bela sintonia entre banda e público. Nos demais da banda, essa expressão era vista facilmente em seus rostos, tocando com bastante afinco. Bela abertura de turnê da banda e pra banda.

Por consideração a quem veio de longe, na disposição e humildade, tirando grana do bolso, a Plastic Fire foi colocada nessa posição para não correr o risco de tocarem tarde e as pessoas começarem a ir embora, como já aconteceu e acontece algumas vezes. A Charlie Chaplinhttp://www.myspace.com/charliechaplingoveia - foi a escolhida para o encerramento e ainda havia uma galera esperando. Fazia algum tempinho que não rolava um show da banda com bagunça e maior participação dos presentes. E dessa vez rolou bastante e o clima foi de fim de festa animado e empolgado. O clima continuou bem legal, fizeram um show sem tantas pausas e desencontros - devem estar aprendendo finalmente hehe! Um novo EP está saindo do forno em breve, mais cópias do EP "Toques Sínicos" também, a cargo do selo baiano Entorte Discos. Tocaram músicas dessas duas gravações e mais covers de Minority Blues Band "Antiheroic" e At The Drive-In "One Armed Scissor", para êxtase de alguns. Destaques para presença ativa de algumas meninas e para o fato de algumas pessoas terem cantado músicas que ainda não foram lançadas, nem colocadas no Myspace, denunciando um provável vazamento de mp3 hehehe.

Esse show serviu pra começar o ano de uma bela forma, lavando a alma de quem tanto toma na cara tentando fazer as coisas por aqui, sem poder contar com o apoio da população soteropolitana, rocker ou não, e para reafirmar que não só é possível como viável fazer uma produção coletiva na base da amizade, consideração mútua, coletividade, sem sacanear nem passar por cima de ninguém. Até a próxima, vamos ver se agora que supostamente já descemos toda a ladeira, conseguimos começar a subí-la!


Hasta.

Comentários

Dill disse…
"Destaques para presença ativa de algumas meninas e para o fato de algumas pessoas terem cantado músicas que ainda não foram lançadas, nem colocadas no Myspace, denunciando um provável vazamento de mp3 hehehe."

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Verdade!
Eduardo disse…
hahuauhuahuhuhuhauha sempre vaza!! hahuauhauhuhauhahuauhahuahua e nesta quarta vai vazar mais.
Rude boy disse…
Parabens! Jovens! A cultura rude boy agradece! Força hooligans!
Anônimo disse…
foi dill que botou no 4shared! hehehehe uhuhuhuhu

vicente
Anônimo disse…
Muito Bom! Pena que eu não pude ficar pro show para ser uma das presenças femininas.

Lore Lac.
Eduardo disse…
Rude Boy: êa carecada!

Vicente: Sempre Dill...
Dill disse…
Nem fui eu.. Quando eu apaguei o meu arquivo zipado do meu hd virtual do 4shared só tinham 7 downloads.. que foi a galera da banda e mais aquele cara lá de sp que antonio pediu pra não passar e mais alguem que não tem como saber hehehe!

rogerio tambem botou link pra uma galera baixar, mas depois deletou tambem!

So tem doente, é isso aí!

O show foi du caralho!
Eduardo disse…
aahahuauhhauhuahahuahuauhaha hoje eu dei mais uma vazada no Podrecast ahuauhhuauhahuauhauhauhauaha de leve heheheheheh
anaiarinha disse…
poxa, perdi o cover d at the drive in
:(
Eduardo disse…
anaiarinha: Perdeu mesmo, pois um momento mágico.

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Festival Big Bands 2012

Texto: xDudux
Fotos:Quina Cultural, Igor Filgueiras, Mari Martins
No dia 26/10/2012 foi dado o pontapé inicial para mais uma edição do  Festival Big Bands. Na sexta não fui, pois estava torcendo pro glorioso leão e no domingo também não deu pra comparecer já que estava na celebração da décima edição da batalha de rimas Maisum, entretanto não poderia deixar de ir a pelo menos um dia desse tradicional festival e me restou ir no sábado (27/10), onde dentre outras bandas teria a gigante Headhunter D.C., banda local de death metal com prospecção e respeito nacional. Sim por esse show com certeza já teria valido à pena minha ida a Praça Tereza Batista, mas ainda teriam outros atrativos nessa tarde/noite.
A banda de abertura foi a Hessel -http://www.myspace.com/hesselrock - banda instrumental local que seguindo nossa tradição de bandas instrumentais é muito boa! Os caras abusam, sem medo de ser feliz, de efeitos e pedais, dando um resultado final que é uma delícia musical de primeira linha, que …