Pular para o conteúdo principal

Cobertura: Noite Fora do Eixo



Texto: Andrei Junquilho

Fotos: Wilson Santana & Marcelo de Souza

Sábadão à noite boa pedida para uma balada bem no estilo John Travolta, porém fui conferir, mais uma vez, Jason (RJ) em Salvador. Se não me falhe a memória, só perdi o show que foi no Idearium, que por sinal tive noticias que foi péssimo. Imagino que tenha sido mesmo, Barba (bateria) com as baquetas é péssimo! Os outros também não foram assim tão agradáveis, mesmo eu, em uma oportunidade, ter tocado com os caras. Fui feliz em ver a apresentação com o Rafael Ramos e Vital na Blue House, e já sem o Rafael, no Festival Garage Rock com os conterrâneos do Planet Hemp. Ficou na memória esse show.

Chegando ao Rio Vermelho, juntamente com meus companheiros de rolé, paramos na frente do Irish Pub para uma pizza e aguardávamos ansiosamente a apresentação dos cariocas do Jason com seu verdadeiro front man. Enquanto esperávamos víamos uma movimentação lá de fora para a apresentação da primeira banda, a Fridhahttp://www.myspace.com/fridhassa -. Apesar de conhecer três dos integrantes, confesso que o som não me agrada muito e não foi apenas por isso que não entrei na apresentação dos caras, na verdade eu estava afim de socializar e fui sem nenhuma pretensão de resenhar show algum, mas o aperto de mente é maior e eis que estou aqui mais uma vez alegrando as telas quadradas reluzentes do seu computador.




Conversa vai...conversa vem, pizzas, cervejas, água, risadas, gastação, vida alheia e outras resenhas, nos certificamos que a Fridha já havia acabado sua apresentação e como a pizza e a cerva lá fora já tinha sido digerida, resolvemos entrar pra ver a segunda banda da noite, o Pastel de Miolos - http://tramavirtual.uol.com.br/pastel_de_miolos -, uma debutante no sentido literal da palavra, ou melhor, esses "velhinhos" (eitcha que Alisson, Guitarra e Voz, me mata agora) , já dançaram a valsa e estão na flor da idade, pronta para agora descobrir o mundo como o desabrochar de uma flor. Péssimo comentário, mas vamos lá. O tempo de estrada e a discografia dos caras fazem com que mostrem um repertório ensaiadão, além do respaldo dos caras por se manterem resistentes, fazendo o som que gostam, o som que acreditam aqui em Salvador. Me agrada muito o som da Pastel, mas a vontade de ver o Jason com Vital novamente assumindo os mics e sem o Panço me deixava curioso a ponto de o show do Pastel para mim ter passado como o bonde sem freio do Rio. Show foda! 




Parabéns para a Pastel, mas chegou a hora de falar dos caras: "Eu sou carioca, eu sou carioca... Foda-se! E quem se importa?", “A Ascensão e Queda de Cláudio Escória” chegou para os caras, anos em queda, mas agora eis que estão de volta. A ascensão veio com a volta de Vital (vocal) e com o novo guitar que manda bem "pacarai". Dessa vez vou tentar lembrar o nome das músicas, pois eu estava lá de point finger e apesar da perda de memória que tenho, devido ao acumulo de trabalho e estresse cotidiano, faço uma força para exercitar a memória. Nomes serão fáceis, mas a ordem? Aí que vai pegar, mas vamos nessa!!! Surge a “Roda Gigante” e todos no Pub com seus braços esticados, dedos para cima e cantarolando a canção. Incrível como o local parecia pequeno com o pogo. Um verdadeiro mar de gente caindo e subindo ao palco para cantar junto com os caras. Na seqüência rola umas do disco mais novo “Obtuso”, não tão conhecidas da galera como “Dramática” e “Rivotril”, mas em seguida eles emplacam uma cacetada de conhecidas como “Marra de Cão”, “Tem alguém no meu Jazigo”, “3´33”, “A crise”, “Silêncio”, “Ração”, “O Ciclo”, “Eu não matei um Kennedy”, “Que bom que eu não amo ninguém”, “Imagem é tudo sua cabeça não tem nada”, “A bela canção que eu não escrevi”, “Despedida ao volante”, dentre outras que causaram frenesi e exaltação dos ânimos, mas sem briga, nos presentes. Ganhei uns arranhões nas pernas, a garganta rouca e os ouvidos tapados, mas ainda tive a audácia de pegar o mic no final do show e afirmar que o problema todo dos shows ruins que o Jason tinha feito em Salvador foi por causa de Panço, mas Rodrigo contestou e me fez pensar que foi por causa da ausência de Vital. O cara tinha saído e manda bem pacaraí. Ouçam Jason em: http://tramavirtual.uol.com.br/jason .

Dever cumprido, resenha feita, lembrei dos nomes das músicas, corpo cansado de dias seguidos sem dormir direito e toda essa exaustão me faz perder o show da Agressivos - http://www.myspace.com/agressivos -, mas com certeza os caras fazem jus ao nome que carregam a anos.

E como diria o antigo prefeito de São Francisco do Conde: "Sábado que vem tem mais".


Comentários

Rodrigo disse…
Pastel melhorou bastante e o show do jason foi perfeitaço!!!
Andrei disse…
Pastel foi foda!

Estão armando o tributo dos caras, quero fazer um tributo a escato.
Andrei disse…
Ou ao bosta rala
Eduardo disse…
Quero fazer um tributo a eu mesmo.
Andrei disse…
Seu "pai' iria adorar cantar umas musicas groovadas em seu tributo.
Anônimo disse…
Curti pra caraleo o teu blog chapa, muito massa mesmo. E ainda tem resenhas de shows, gosto de ficar passeando pela net lendo resenhas (já ocorreu de gostar do texto da resenha de determinada banda que me fez baixar, ouvir e virar fã rs). Tenho um blog de HC também, que retrat mais a cena candanga, mas não se limita a somente isso. Dá uma olhada (ps: o comentário fiz pelo elogio ao blog e nçao para minha divulgação ahsudadshu).
www.vidahc.com
Abraço,
Toti.
Eduardo disse…
Sua main é minha Andrei!

Toti, valeu a preza é noiz!
Alisson PDM disse…
o melhor de ser velinho é a MURRINHA! valews!

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Festival Big Bands 2012

Texto: xDudux
Fotos:Quina Cultural, Igor Filgueiras, Mari Martins
No dia 26/10/2012 foi dado o pontapé inicial para mais uma edição do  Festival Big Bands. Na sexta não fui, pois estava torcendo pro glorioso leão e no domingo também não deu pra comparecer já que estava na celebração da décima edição da batalha de rimas Maisum, entretanto não poderia deixar de ir a pelo menos um dia desse tradicional festival e me restou ir no sábado (27/10), onde dentre outras bandas teria a gigante Headhunter D.C., banda local de death metal com prospecção e respeito nacional. Sim por esse show com certeza já teria valido à pena minha ida a Praça Tereza Batista, mas ainda teriam outros atrativos nessa tarde/noite.
A banda de abertura foi a Hessel -http://www.myspace.com/hesselrock - banda instrumental local que seguindo nossa tradição de bandas instrumentais é muito boa! Os caras abusam, sem medo de ser feliz, de efeitos e pedais, dando um resultado final que é uma delícia musical de primeira linha, que …