Pular para o conteúdo principal

ÚLTIMO ATO...


Geralmente velórios são tristes, mas esse foi recheado de alegria e diversão, trate-se do ÚLTIMO ATO... evento que a priori serviu para marcar o fim da banda Contenda, para tanto os caras convidaram mais 04 bandas e fizeram um verdadeiro fuzuê nas dependências do Irish Pub (Barra).

Saí um pouco tarde de casa, não botava fé que o show começaria no horário previsto, para minha tristeza estava certo, ao conversar com o pessoal descobri que o evento antes marcado para as 19:00 horas, em verdade começaria às 21:00 horas, de pronto pensei que não teria ninguém para ver o show devido ao horário, dessa vez minha suposição foi falha.

Pontualmente atrasado, às 21:00 horas, inicia-se o evento com a promissora banda JONAS. Muitos dos presentes estavam tendo o primeiro contato com a banda ali, e pelo que vi a recepção foi boa. Jonas, ao meu ver, foi uma das poucas boas novidades desse ano de 2009. A banda é estupidamente boa, bem ensaiada e com as letras em inglês casou perfeitamente. Soube que a banda está compondo em português também, espero que mantenham ou melhorem o nível. Durante o show alguns probleminhas técnicos, porém Marcelo Adam (Guitarra/Vocal) não deixou a peteca cair e mandou clássicos como Zezé di Camargo & Luciano, conseguindo arrancar coros de parte do público. A Jonas finalizou a gravação de seu primeiro registro a pouco tempo, estamos ansiosos a espera desse material.

Esse show agregou algumas vertentes do underground, uma delas foi o hardcore da banda LUMPEN, estava com saudades de um show dos caras aqui em Salvador, parece que Salvador ultimamente não tem sido generosa com as bandas de hardcore. Poucos shows, espaços escassos, público do mesmo modo, contudo algumas bandas vêm resistindo e consolidando-se ao longo do tempo, uma delas é a Lumpen. A banda pretende fazer dois lançamentos ainda esse ano, o CD intitulado "Straight Edge" e uma mixtape apenas com covers de bandas que os membros já integraram ou que de algum modo influenciaram a banda, esse material também já tem nome e será "Quintessência Profana", e é com alguns sons que sairão nessa mixtape que a Lumpen vem se apresentando. A banda executou uma versão da música "Na Caminhada", da Versu2 que ficou bem no estilo das bandas de hardcore de NYC, tocou ainda covers das bandas Lisérgia e Adcional. O show contou ainda com a participação de algumas mulheres nos vocais, como por exemplo Carol (Égregora), que co certeza deu um toque diferenciado na apresentação, criando um clima agradável, por fim, fecharam o show com um clássico do hardcore baiano, "Eu te amo", da extinta banda Sem Acordo.

O clima começa a ficar pesado e frio. Sim, era a hora do velório, com uma introdução bem "sludge", a CONTENDA começa o ritual que encerra de vez (?) a caminhada da banda. O clima de velório acaba ai. Executando as músicas do único material lançado, "Incompreensível", a banda mostra o porque deixará muitas saudades. Depois de 03 anos de hiato, a Contenda mantém o vigor e o som caótico que sempre se propuseram a fazer. Músicas quebradas, rápidas com uma alternância de vocais excelente, é uma pena que algo tão bom tenha acabo. Sim, queria mais alguns shows de despedidas deste, fiquei tão empolgado que até "moshei", o cataficha comeu no centro (risos), foi bom ver o sorriso de algumas pessoas que sempre acompanharam e apoiaram a banda, não parecia uma despedida e sim uma belíssima volta, e foi assim que transcorreu toda a apresentação da banda. No final Roberto Gomes (vocal) indaga Andrei (Vocal) sobre o que tinha achado do show, a resposta a melhor possível: "Uma merda, como sempre".

Agora era a vez de acalmar um pouco e ouvir a banda OCARINA, acalmar? Ledo engano. Fiquei impressionado com a empolgação do vocal, Gil, nesse show. Foi surpreendente pelo foto de já ter assistido outras apresentações da banda e sempre ter visto os caras bem comportadinho no palco, mas esse, definitivamente, não era um show comum. Gil, saltitava, se jogava ao chão, subia no balcão do bar e tudo isso sem perder o ritmo ou errar. Outra coisa que percebi nessa apresentação é que algumas músicas receberam arranjos novos, e estão bem melhores. O ponto "negativo" do show, talvez tenha sido uma das músicas no final, "fechar os olhos" (?) que deu uma morgada na apresentação enérgica dos caras, contudo, conseguiram se redimir tocando o hit "O fim da história". A banda promete lançar, ainda esse semestre, o primeiro álbum deles que já está completamente gravado e mixado, dependendo apenas da prensagem e da conclusão da parte gráfica. Como podemos ver esse ano ainda terão diversos lançamentos significativos na cena local

Como já tinha passado, e muito, do horário dos ônibus que rodam para o meu bairro passar peguei uma carona até próximo meu bairro para de lá pegar um táxi, por isso, não pude ver a apresentação da City in Flames. Entretanto, nosso grande colaborador, Rodrigo Gagliano, estava atento a essa apresentação e passa agora a relatar como foi o show dessa banda.

A árdua tarefa de finalizar o evento ficou a cargo da City In Flames. Árduo neste caso, pelo fato do horário marcado meio tarde (considerando a cidade em questão), ter rolado como citado a cima um generoso atraso de 2 horas, apesar de compreensível, pois foi o horário que o público realmente começou a chegar. Com isso as pessoas já estavam super preocupadas com suas conduções e/ou caronas indo embora. Enfim, boa vontade de ver a última banda do show não foi suficiente desta vez. Porém, fizeram uma apresentação sem parecer se abalar com a subtração do público até então presente. Apesar do clima não muito favorável, buscaram animação interna (talvez um tanto na pouca externa que havia - o fã e fotógrafo Coala, tirando fotos e moshando ao mesmo tempo) e cumpriram o papel de encerrar o "Último Ato", sem reclamações e chatices. Parabéns por isso, meus caros!"

O Toma na Cara, parabeniza a todos envolvidos nesse evento, que com certeza marcou um bom início de semestre com bons shows. Até um próximo furdunço.

NA FOTO: CONTENDA

Comentários

Gil disse…
Bala como sempre!!
Beslard disse…
Pelo que li, mais um bom show que perdi. E no caso da Contenda, infelizmente, não há esperança de um próximo som. Ótima resenha.

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…