Pular para o conteúdo principal

3ª eliminatória do NP Cover Festival


Nessa edição preparamos uma boa cobertura da 3ª eliminatória do NP Cover Festival, conseguimos cobrir dessa vez as apresentações das bandas nos dois palcos, isso só ocorreu pois contamos com a ajuda de Juliane Vieira, que já colaborou em projetos anteriores com formato semelhante a esse blog (/salvador-rock e /ba_underground), e que agora dá sua primeira contribuição ao Toma na Cara.

Para quem não sabe nessa 3ª eliminatória eu fui convidado a compor a banca de jurados, aproveito esse espaço inclusive para agradecer a Zizi e Henrique, pela confiança depositada e por toda atenção prestada no dia do evento, por conta disso não pude ter uma maior mobilidade entre os dois palcos, ficando assim incumbido de cobrir as apresentações das bandas concorrentes no Festival de covers.

A primeira banda a se apresentar foi a WILLYNELSONS - http://www.myspace.com/Willynelsons - executando cover da memorável e clássica banda de punk rock do finalzinho da década de 70' THE RAMONES. A Willynelsons tocou verdadeiros hinos do punk rock como "Pet sematary", "Sheena Is A Punk Rocker ", sem contar na clássica "Blitzkrieg Bop". Um bom show de punk rock, era "1,2,3,4..."e já foi!!!Achei que o ritmo dos covers estavam meio acelerados, mas isso foi bom pra empolgar o público que já era em bom número, tendo em vista que apenas era a primeira banda a se apresentar. As músicas próprias não fogem desse estilo punk rock clássico, inclusive gostei muito dessas, principalmente com o vocal de Lincoln, encaixou bem nas músicas.

Para quem pensava que a banda cover de JOY DIVISION seria uma grande maresia se enganou, a ÉBRIOS VOADORES - http://www.youtube.com/watch?v=YSsqgqZ-0pE - mandou muito bem na performance, o vocal com um ar pacato e tímido surpreende com o molejo e requebrado, o vocal muito parecido com o de Ian Curtis impressionou também. Sobre as músicas próprias fiquei dividido, pois a primeira tocada "Roberta" eu achei um saco e monótona, entretanto a segunda "No Money tonight"(?) eu curti demais, se a banda fosse toda naquela pegada ficaria linda, inclusive achei a pegada dessa música bem parecida com o The Police.

A terceira banda a subir no palco da Boomerangue foi a ANTHERO - http://www.myspace.com/bandaanthero -, banda composta em sua maioria, por integrantes da extinta banda Anacronismo. Revivendo as raízes do início dos anos 00' os caras tocaram perfeitamente covers da banda SYSTEM OF A DOWN, e foram extremamente fieis as canções que se propuseram a tocar, até os mínimos detalhes pareciam ter sido ensaiados, foram que dava pra sentir que a banda tinha escolhido o cover porque gostam da banda, vide a empolgação dos mesmos no palco, o resultado disso: O público agitando muito!!!!Foi com certeza uma excelente apresentação.

Continuando no som mais pesado, ouço um vocal bem familiar e penso: "não, será? Zack de la Rocha?", definitivamente não era, mas o gordinho da RAT RACE mandou muito bem no vocal, tamanha a semelhança com o vocal do RAGE AGAINST THE MACHINE, banda que se propuseram a executar os covers. Os caras fizeram uma excelente seleção de músicas do Rage against the machine, e inclusive tocaram duas que acho as melhores "Know your enemy" e "Bulls on parede", fiquei doidão com a apresentação dos muleques. A música própria tem um groove foda, umas pegadas de baixo bem legais, finalizaram a apresentação com a clássica "Killing in the name", levando o público ao delírio.

O clima agora fica um pouco mais obscuro e tenebroso, a INCRÉDULA - http://www.myspace.com/incredulabanda - subia ao palco e tornava o clima um tanto quanto fúnebre. A banda tocou covers da banda EVANESCENCE, a vocalista tem um vocal lírico muito bom, a banda estava bem ensaiada, entretanto presa demais, e isso influenciou no público que antes se batia, pulavam e gritavam, e agora apenas observavam a banda, apáticos. Sem sombra de dúvidas a temperatura caiu de 100ºC para -1ºC, bad vibe total. Lembrando bem do show acho que até fiquei com um pouco de medo agora, tamanha seriedade.

E era vez dos reis do metal, BLACK SABATH. Quem fez cover dessa belíssima banda foi a INDRA. A banda não fez feio não, em minha opinião segurou bem a onda, certo que não ficou perfeito o cover, mas ficou bem legal. O vocalista era um show a parte, o cara chamou o público para si e novamente acendeu a chama da galera. Senti falta apenas do cover de "Iron Man", uma música clássica do Black Sabath, entretanto os caras mandaram "War Pigs" que acho bem louco.

E se a Indra acendeu a chama, a HARD WATER fez o favor de jogar alcool na parada, porque com o belíssimo e fiel cover do QUEEN os caras conseguiram arrancar coros do público, sem contar que até nas músicas próprias dava para se ouvir as pessoas cantando junto, o que demonstra que a banda já possui um público consolidado, e isso foi algo que sinceramente me impressionou, pois tanto a Hard water como a próxima banda demonstraram ter um público super fiel e dedicado, fazendo-me crer que o hardrock não morreu, e se um dia morreu aqui pelo menos ele está ressuscitando em grande estilo.

Falando em grande estilo, essa banda sem sombra de dúvidas tinha que fechar o show, para fazer isso com maestria e glamour. A BATRÁKIA - http://www.myspace.com/bandabatrakia - mandou ver nos covers do GUNS 'N ROSES, mas não chamou a atenção apenas por executar bem os covers, isso seria pouco pra essa banda genuinamente hardrocker, a banda tem uma presença de palco impressionante, além disso, o visual dos caras em si já choca, mas se não bastasse tudo isso, Nino (baixo), faz uma verdadeira apresentação pirotécnica no meio do show, baquetas e guitarras com luzes verdes deram todo um charme para essa apresentação bombástica que finalizou mais essa etapa do NP Cover Festival, não sem antes mandar um "Welcome to the jungle", vocês não acham que os caras dariam esse vacilo. Fiquem agora com a cobertura do palco das bandas convidadas, com Juliane Vieira.


Cobrindo o palco de baixo, infelizmente não consegui ver todas as bandas, pois entre ver uns covers que curtia em cima, fotos e cervejinhas, acabei perdendo algumas coisas, mas enfim tentarei escrever sobre o que presenciei.

Quem abriu as cortinas do 1º piso da Boomerangue foi a YUN FAThttp://www.myspace.com/yunfat - que por sinal vem tocando bastante na city, com um atraso considerável e também da minha parte que não peguei o início do show, a banda deixou os presentes ali que estavam os vendo pela primeira vez bastante impressionados. Encheu o local, porém sem grandes agitações, mas era notável o “bom espanto” da galerinha juvenil ali presente, a banda executou duas músicas novas, achei bem mais trabalhada que as demais, bem mais metal, metal mesmo ok? Uma dessas musicas em especial eu pude até flagrar uma casal de rokeros se beijando, é aquela “baladinha romântica” que toda boa banda de rock tem. Sem palavras, do momento que não são do meu tempo, deathcore, pig alguma coisa e outros nomes que não me recordo. Executaram o já conhecido cover de "Sunday bloody Sunday" do U2, e finalizaram com um cover lindo do Backstreet Boys da música "everybody", achei digno, de boy band para boy band (risos). Lembrou minha adolescência, apesar de preferir as Spice Girls acima de qualquer boy band, deu para cantar um pouquinho com a Yun Fat.

Para não deixar o publico esfriar, eles que já estão sendo figurinha carimbada nos melhores shows que estão rolando aqui na nossa cidade a CHARLIE CHAPIN http://www.tramavirtual.com.br/charlie_chaplin -, tocando pela segunda vez no evento, fez um show bonitinho, sem grandes erros, mas faltou o diferencial dos shows deles: Cadê o público, omg? Apesar de alguns papéis picados, faltou aquela energia e confusão de garotos que só os shows da Charlie Chaplin proporcionam, pelo menos comparado com o último naquele mesmo local, que foi o melhor que já presenciei por sinal. No mais tocaram duas músicas novas durante o show, cover de dance of days, uma misturinha que eu nunca entendo se são 2 ou 3 músicas que tem uma parte do At the drive in, que por sinal Vicente nunca canta, o que senti muita falta (fikdik) e encerram a apresentação com um cover do Nofx com Rogério nos vocais.

A banda a seguir foi a MARDI GRASS, viajei no nome e dei uma pesquisadinha. Mardi Grass é como se fosse um carnaval lá pelas bandas do norte dos Estados Unidos, infelizmente peguei só o final da apresentação dos caras e fiz uma pesquisa de campo para escrever um pouco, pelo pouco que vi o som era bem o up do momento, saca Londres? Pois é, aquele mamãe quero ser retrô, mas super moderno? É o som, me lembrou bem Libertines, talvez por um ou mais (?) integrantes no evento passado terem executado cover da mesma com a banda O Quarto. A Mardi Grass fez covers de Cazuza, Legião Urbana, Chuck Berry, segundo minhas fonte(risos). As duas primeiras fiquei surpresa, pelo menos do que vi pela banda, mas enfim, menininhos novos com muito rock ainda pela frente
.
Em seguida veio a CÓDIGO REMOTO - http://www.myspace.com/codigoremoto -, peguei do início. Foi uma das bandas mais diferentes que já vi, até teclado tinha na banda, ora era rock pesado, depois mais calminho, vocal limpo uma coisa meio Canto dos Malditos na Terra do Nunca, ai entrava uns rasgados, e quando eu menos esperava tinha uma coisa meio afoxé, maracatu, regional, vindo lá do Ricifi sabe?(risos). Achei loco, tinha umas poucas cabeças empolgadíssimas na hora do show, vale ressaltar o visual do baixista que achei coisa phyna, e que eu passei boa parte do show me achando louca tentando descobrir quem estava cantando junto com o tecladista, ai depois de umas 03 músicas vi que era um guitarrista no chão bem escondidinho, ufaa!!!

A próxima banda foi a BODDAH, que infelizmente peguei apenas a última música e não encontrei nenhum conhecido para me ajudar a resenhar, o show estava meio vazio, a banda parecia ser aquelas bandas um pouco pra baixo, melhores de se ouvir em casa e o ambiente no momento estava totalmente propicio, luz bem baixa, pouca gente...só deu para sacar a influência meio grunge na banda, a la Alice in Chains e Nirvana, as músicas menos agitadinhas dos caras.

E encerrando a noite no palco de baixo do Boomerangue, entre chinelos-pantufa, samba-canção e descamisados eis a ANDRAGMA - http://www.myspace.com/andragma -, com o já citado acima deathcore (?) que por sinal vem se propagando bastante em Salvador. Esse é o segundo show que vejo da banda, esse sem incidentes como o primeiro graças a Jah. A banda é bruta, sem pausas, manda seu estilo de som sem erros, velozes e seguros. Achei e senti o vocal de Gilberto bem melhor do que da primeira vez que vi, só acho esse estilo de som sem a menor variação, talvez porque nem dê tempo para perceber mudanças (risos). Com poucos moshs, graças a Jah[2] a banda encerrou a noite ali.

Subindo um palco, estive na eliminatória anterior, e sem dúvidas esta eliminatória as bandas tinham bem mais qualidade o que tornou a decisão muito difícil para os pobres jurados, parabéns principalmente aos covers do Ramones e Joy Division, sendo bem pessoal, pois são bandas que eu gosto e queria muito ouvir ali, e parabéns também aos organizadores do evento pela iniciativa.
NA FOTO: ANTHERO

Comentários

Queria realmente ter visto a Willynelsons... Acho que todos que curtem Ramones, tb...
Principalmente por saber da proposta da banda de tocar 12 musicas em 25min...
Algo que seria (e foi) bem punk rock... Não vi, enfim... o repertório tb foi enxugado pra 10 musicas 20min...

Quando entrei tava tocando a Joy Division.. e o que eu mais tava curioso (não vou mentir) era pra ver o vocalista teria um ataque epiléptico... rsrsrs... Como eu cheguei meio q pro final da apresentação, não pude ver.. mas soube que teve... rsrsrs... Das musicas que vi, tb curti a própria "No money tonight" (se o nome for realmente esse)...

Senti o mesmo no show da Charlie Chaplin, se o show anterior ali no 1º piso tinha sido um dos melhores q já vi dos caras... esse foi um dos mais fracos em questão de sintonia público/banda...

Destaco o Anacronismo(Anthero)... som muito bom, independente de gostos... a apresentação dos caras foi massa... Voltei a ter 15 anos... beber são jorge no Idearium, Galeria e Insurgente... rsrsrs...

Depois ou durante o Evanescence eu fiquei com vontade de ir embora... a parada ficou triste.. lá... rsrsrs...

O Black Sabbath tb não me empolgou... e eu vazei de lá... ainda iria pro show da Reles na Barra.. tava querendo ficar down não... queria manter o speed...

Sexta-Feira no Irish??? ACM's Mortos e Charlie Chaplin??
tomanacarahc disse…
é né, vai rolar sexta msm!!!
Rodrigo disse…
ehehehe juli! a gente n tocou dance of days naum! deve ter sido alguma musica nova q vc achou parecida!!! hehehe huuul... te sexta!!!
Ébrios disse…
Não sabia q eu tinha molejo e requebrado aushiuashiaush mas valeu pelos comentários. Quanto à musica "Roberta", nem íamos tocar ela, íamos tocar uma de blues que eu fiz, mas naõ deu pra ensaiar, então tocamos ela mesmo. A do blues ia animar bastante e provavelmente seríamos classificados se a tocássemos. Abraços.
Tem comunidade no orkut ok?

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…