Pular para o conteúdo principal

Cobertura: Festival Big Bands - Hip Hop‏

Texto: xDudux

Fotos: Fernando Gomes


Mais um dia de Festival Big Bands, porém em outro bairro e com outro estilo musical. Contrariando o que o próprio organizador do festival disse em outro blog, o público do Facada pode querer sim ir ver a parte rapper do Festival, veja por mim que fui nos dois, claro que não no mesmo dia, pois para minha realidade isso era inviável por "N" motivos.


Bem, já no domingo cheguei um pouco atrasado no evento e assim que cheguei de pronto me decepcionei, um evento com várias atrações de peso e bem vazio, detesto dizer mas eu estava correto, Salvador não suporta essa megalomania de um festival com vários pontos na cidade, o Facada foi vazio e a noite de domingo do hip hop foi fazia e soube que no sábado também estava vazia a casa, bem vâmu que vâmu!!!Na hora que cheguei já estava se preparando para subir no palco o MC paulista Rashid - http://www.myspace.com/mcrashid - era a primeira vez que ouvia o cara e foi perfeito, pois pude ter a primeira impressão dele ao vivo, onde tudo é mais real. Nunca tinha ouvido antes por falta de interesse mesmo, mas estava curioso pra ver a apresentação dele, confesso que achei bem fria, salvo em algumas músicas que pareciam ser mais conhecidas e o público cantava junto, o show foi bem parado. Um dos poucos pontos altos do show foi quando ele mandou o som "Hora de Acordar", bastante conhecido pelo público. Ao menos Rashid mostrou ter bastante competência e flow, principalmente na hora de sair do palco, já que guardou a sua faixa mais badalada para finalizar a apresentação, "E Se", conseguiu quebrar bem o gelo da apresentação do cara, pena que ficou para o final.


Intervalo, e Dj Gug mandava várias pedradas para tentar animar um pouco a pista, quando o Mestre de Cerimônias da noite, Robson Véio, convidou o MC mineiro Pedro Vuks, que havia se apresentado na noite anterior para fazer uma participação, o cara não decepcionou e mostrou um pouco de seu trampo, recém lançado.




Meu olho já brilhava esperando ele, um dos caras mais sapientes que conheço/escuto, mestre com as palavras, mestre no improviso, Marechal - http://www.myspace.com/mcmarechal - faz jus ao "M" de MC. Naquele estilo foda-se, sempre de chinelo e largado ele sobe ao palco e faz uma apresentação daquelas para não botar defeito, como sempre impecável e acertando até nos erros, Marechal mostrou o porque é uma das pessoas mais influentes atualmente no cenário hip hop nacional. Não vou saber precisar aqui a ordem das músicas executadas, pois já tem um tempinho o show e não levei o bloco de notas, mas foda-se, se você quisesse realmente saber teria ido. Vou facilitar dizendo que rolou clássicos como "Bota a mão pra cima", que salvo engano abriu o show, "Um só caminho..." e claro, o single "Tem que ser sangue bom". No meio da apresentação, sempre com aquele clima de interação com o público Marechal convida dois MC’s locais para uma sessão de freestyle, que veio muito bem a calhar, mostrando também um pouco do que temos em casa. Ouvi ainda uma faixa nova, pelo menos não conhecia, e qualidade é aquela de sempre: Super aprovada! Deixando ainda mais o gostinho do disco do cara, Fernandinho disse que ouviu uma prévia do álbum e me adiantou que será um lançamento que deixará muita gente de boca aberta, nos resta a esperar, sem muita ansiedade, pois como o próprio Marechal diz: "Meu disco não saí, meu disco fica".

Comentários

Andrei disse…
e o organizador foi pra os dois?
Eduardo disse…
Rpz, pelo menos no show do Marechal eu não o vi, mas não estava lá desde o começo. No do Facada tenho certeza que não, você o viu lá?

Agora assim, sei que o esquema de organização desse festival foi bem diferente e sei que pelo menos nos dois dias de hip hop quem deu um suporte da porra foi a Positivoz, que inclusive está de parabéns pela correria, creio até que se a positivoz fizesse um festival de hip hop sozinha teria mais êxito. A julgar pelos Foradeorbitas e outras festas excelentes promovidas por essa produtora, aliás, por essa gang (rs)
Andrei disse…
não o vi.

E que bons produtores venham
e que boas bandas, sejam de rap ou hardcore ou metal, venham.

Postagens mais visitadas deste blog

Cobertura dos melhores momentos do Palco do Rock 2009

Por: Rodrigo Gagliano.


Nesta edição colaborou conosco o Rodrigo Gagliano, membro de várias bandas que foram/são importante para o cenário underground soteropolitano, dentre elas a Charlie Chaplin. O Rodrigo, acompanhou todos os dias do festival PALCO DO ROCK, e teceu suas considerações. DIVIRTAM-SE!

Dia 21/02/09 – Sábado

Primeiro dia. Não curti nenhuma banda. Não é só em relação a estilo, às vezes é algo que não gosto, mas posso ver algo interessante e tal. No máximo na banda grande, mas tinha muito pula-pula, muita braulêra! Na verdade não lembro da banda de Thrash Metal 80´s. Teve ainda, a Pastel de Miolos que tem algumas coisas que gosto, principalmente de coisas mais antigas, como costuma ser comigo.

Dia 22/02/09 – Domingo

Segundo dia. Fui com Íris e Antonio (amigos pessoais do Rodrigo) que queriam ver a primeira banda, Endiometriose. Banda de Feira de Santana, composta por meninas. Tocaram muitos covers em relação a quantidade de músicas próprias.Ponto negativo, pois ficou parecendo q…

Oasis Day 2012 - Salvador

Texto: Ciro Sarno Já há alguns anos vem sendo realizado, no Brasil, o Oasis Day. Em algumas cidades, eventos com programação especial são feitos em homenagem ao grupo, contando com bandas covers e/ou discotecagem, levando os fãs a relembrarem os hits que marcaram épocas.
Na edição deste ano, que ocorreu dia 15 de setembro, Salvador participou pela primeira vez. O evento foi realizado no Groove Bar, melhor casa de rock da cidade, e o anfitrião da noite foi o sempre fantástico Oasis Cover. A apresentação contou com a abertura da banda Blur Cover, fazendo uma combinação inusitada de covers entre os rivais britânicos. Foi uma noite de puro rock, com o melhor que o Oasis tem a oferecer neste aspecto. Com um setlist bem escolhido por Ted Simões, líder e vocalista do grupo anfitrião, o show foi conduzido de maneira dinâmica e com surpresas dignas do que a noite merecia. “Rock’n Roll Star”. 
A apresentação começou com a música que traduz bem o que é o Oasis, o que significa ser fã da banda e prepar…

Cobertura: Pessoas Invisíveis e Gigante Animal na Midialouca

Resenha: xDuduxFotos: Danilo VieiraSalvador passa por uma triste fase de escassez de casas de shows, por isso vale a criatividade dos organizadores de shows em buscar possibilidades em fazer a parada virar. Como puderam observar na resenha anterior, elaborada por Rodrigo Gagliano, o show dos Falsos Conejos foi no Bar de Dona Neuza, que fica no Marback bem distante do Rio Vermelho/Pelourinho (locais onde geralmente rolam os shows na cidade). Com a passagem do Gigante Animal (SP) por Salvador não foi diferente e a criatividade de Danilo Vieira é de se tirar o chapéu. O local escolhido foi a Midialouca, uma loja de CDs e livros bem legal. A estética do local por si só já tava valendo, eu particularmente nunca tinha ido a loja e adorei, comprei dois bons cds lá e ainda vi shows de duas bandas excepcionais. Vamos ao show.
Já tinha uma quantidade razoável, para uma quinta feira, no local e a Pessoas Invisíveis- http://www.myspace.com/pessoasinvisiveisrock - mandava os primeiros acordes, ent…